SEJAM BEM VINDOS!

Muitas ideias que expressavam sonhos. Muitos ideais que se manifestaram na simples reflexão de ser útil além das funções que exercemos ao menos por um instante. Várias alternativas a nossa frente e muitos obstáculos.

Um dia percebi que deveria ser útil universalmente, pensei e pensei como ascender a esta condição, pois, não possuía nenhum dom especial. No entanto, sou um homem que gosta de escrever. Explorei este caminho, pois as palavras e ideias são muito poderosas e podem servir para inspirar pessoas na sua trajetória vital.

Sou historiador um guardião da memória e pesquisador. Sou poeta de expressões líricas e sociais. Não sei se o que penso é certo ou errado, mas sei que aprendo e ensino dentro de um contexto imperfeito.

Este é meu universo virtual, um lugar de divulgação de minhas humildes e imperfeitas obras literárias e científicas.

terça-feira, 2 de julho de 2013

A HISTÓRIA DE MEU PRIMEIRO LIVRO

Nunca sonhei em ser escritor, tão pouco ser poeta. No entanto sempre possui uma facilidade em escrever poesia ou descrever as utopias que imagino.  Não sei se o que escrevo é coerente ou não, se tem boa qualidade ou não,... só sei que existem pessoas que gostam.

O meu lado poético surgiu no contexto de uma paixão. Ou seja, tudo começou em 1989 nos ensaios das apresentações do Festival Folclórico comemorativo ao Centenário da cidade. Na época tinha 13 anos e ia assistir simplesmente para ver as meninas. Um belo dia chegou uma garota, que por sua beleza já despertou atenção de todos, e posteriormente demonstrou o que apresentaria.  Ao som de  Destination Unknown (Marietta/trilha sonora do filme Top Gun), aquela garota bailou no estilo jazz, impressionando...

Musa inspiradora se apresentando no  FAFAT (Feira de Artesanato e Folclore de Almirante Tamandaré) que ocorreram nos dias 01, 02 e 03 de dezembro de 1989/Imagem colhida junto a vídeo oficial do Centenário da Cidade de Almirante Tamandaré-PR/Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré, 1989.   


Depois daquele dia comecei a sonhar com aquela garota como também a via quase que diariamente, porém distanciado pela timidez. Porém, de certa forma me acostumei a apenas a olhar. No entanto, esta atitude mudou a partir do ano de 1994 quando ela notou minha presença em um shopping de Curitiba onde ia no intervalo de sua aula na praça de alimentação. Fiquei sem ação, e não correspondi a atenção. Passado algumas semanas, como era de costume, toda terça-feira eu ia ao local, pois tinha aula vaga. Até que um amigo resolveu brincar com uma maquina de ganhar ursinho de pelúcia. Por efeito acabamos ganhando. Então surgiu a ideia de presentear alguém. Por algum motivo desconhecido, entreguei o mesmo a garota sem esperar nada.

O problema é que um colega posteriormente brincando pediu para a irmã ligar para mim dizendo que era fulana. Infelizmente cai na brincadeira. Descobri no dia seguinte na escola. No entanto, nem tava ai para a garota até que em 12 de junho ela me ligou de verdade... Eis, que pensei que era sacanagem dos meus colegas e duvidei dela quando se identificou como tal, nem deixei argumentar ou se quer quis saber o que queria. Descobri a mancada no dia seguinte quando a garota passou com em seu carro sem olhar para mim. E pior, mais tarde descobri que o motivo dela ter ligado era outro que não tinha nada haver com o que imaginava!

O problema foi que eu me senti na obrigação de reparar o erro além de ter acendido uma paixão utópica. Depois daquele dia tentei explicar o fato através de cartas, mas nunca tive sucesso. Imagino hoje, que o que eu fazia só agrava a situação.

Porém, em 2001 resolvi mudar a estratégia, inspirado indiretamente por um colega que escrevia poesia para sua namorada resolvi escrever também. Pois, lembrei que eu tinha facilidade em escrever. Em um mês escrevi cem poemas líricos, que justificavam os motivos do meu interesse, que posteriormente foram entregues a ela em um caderno. Porém, nenhum efeito teve. Diante do revés, resolvi lançar um livro com as poesias (Capítulo I e II)  e mesclar com outras que abrangiam outros temas (Capítulos seguintes). Surgia assim o livro “Amor descrito por um apaixonado pela vida”.

Não era um livro perfeito, pois é carente de aperfeiçoamentos quanto a sua diagramação, revisão e arte final. Mas foi o primeiro, o incentivador para outros.
Quanto a paixão, descobri no tempo a vacina que me mostrou muitas coisas, inclusive que eu amava uma pessoa a partir de um mundo fictício, bem diferente da realidade. Pois, a personagem inspiradora era diferente da real em carne e osso. Mas mesmo assim, faria tudo de novo. Este é o sentido da vida, ou seja, viver cada momento, já que, ele sempre é o último.                  

Para ler ou baixar o livro "Amor descrito por uma apaixonado pela vida", viste o endereço:

Nenhum comentário:

Postar um comentário