SEJAM BEM VINDOS!

Muitas ideias que expressavam sonhos. Muitos ideais que se manifestaram na simples reflexão de ser útil além das funções que exercemos ao menos por um instante. Várias alternativas a nossa frente e muitos obstáculos.

Um dia percebi que deveria ser útil universalmente, pensei e pensei como ascender a esta condição, pois, não possuía nenhum dom especial. No entanto, sou um homem que gosta de escrever. Explorei este caminho, pois as palavras e ideias são muito poderosas e podem servir para inspirar pessoas na sua trajetória vital.

Sou historiador um guardião da memória e pesquisador. Sou poeta de expressões líricas e sociais. Não sei se o que penso é certo ou errado, mas sei que aprendo e ensino dentro de um contexto imperfeito.

Este é meu universo virtual, um lugar de divulgação de minhas humildes e imperfeitas obras literárias e científicas.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Reflexos de muitos momentos

A obra pode ser lidas no endereço:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/reflexos_de_muitos_momentos.

Casa de alcouce

Havia um lugar em que eu experimentava o prazer;
Era onde eu conseguia esquecer,
A ilusão que me faz sofrer,
E os dias de minha vida perder.

Porém vi este lugar se desfazer,
Como um reino que começa a morrer.
Pois a solidão,
Mudou a estrofe da canção.

Hoje aquele lugar é vazio,
O prazer ficou frio,
Nem a bebida me consola.
Ela apenas me desola.

Busco a felicidade,
Fora da realidade,
Começo a aprender,
Que não posso mais me perder.  

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Escrituras românticas


Visite o livro no endereço:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/reflexos_de_muitos_momentos.

Lábios mensageiros

Seus lábios atraem beijos,
Carregados de desejos,
Que expressam o amor,
Com um doce sabor.

É o caminho mais curto para o coração,
Que surpreende a razão,
Deixando-a sem noção,
Da grande transformação.

Que preenche o vazio,
Com um grande e cheio rio,
De incontáveis sentimentalidades,
Que dá gosto á felicidade.

Talvez com um beijo eu diga tudo,
Que você quer ouvir,
E assim permitir,

Que eu faça parte de seu mundo.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Versos imperfeitos. Intenções verdadeiras.

DISPONÍVEL GRATUITAMENTE PARA LEITURA NO ENDEREÇO:


Hoje

Hoje quando perdi você,
Vi que tudo tinha acabado.
Lavei meu rosto beijado,
E no desespero,
Enterrei meu grito de amor.

Senti muito tarde, e é por você,
Que grito meu canto de dor,
Que choro a noite vazia,
Que durmo sozinho na rua.

Choro muito com tristeza,
O amanhã não tem sentido.
De que adianta ter mundo inteiro,
Se teu amor já está perdido?

Hoje não vejo,
Nem sinto o mundo,
Estou perdido, não sei meu rumo,
E o meu sentido em silêncio espera,
Que a onda me leve ao fundo.

domingo, 25 de agosto de 2013

LIVRO NEGRO. O LADO OPOSTO DO AMOR

Visite e leia o livro gratuitamente no endereço:


ULTRA VIRES SOCIETATIS

Urbi et orbi.

O que se esconde,
Por detrás da reputação de um Conde.
Por que ninguém responde?
Aonde?
Passou o bonde,
Cala-se, exclamou o visconde!

Tudo possui um segredo,
Mas não aponte o dedo.
Se queres levantar amanhã cedo.
Ficou com medo?
Um favor lhe concedo.
Mas viva como um bêbado.

O reflexo da sociedade,
É a sua realidade,
Esta é a prova da verdade,
Que não se mede com moralidade,
Que alimenta uma falsa humanidade,
Que mal reconhece sua própria identidade.

Discursos bonitos e receptíveis,
São incompatíveis,
Com os complexos desníveis,
Entre os atos sensíveis,
E os corruptíveis,
Que passam por nós invisíveis.

Vimos o que fazem,
Percebemos os poucos que reagem,
Apagamos esta imagem,
Recriamos a coragem,
Escrita com o sangue que corre pelo caminho da viagem,
A sociedade é a mão de um ser selvagem.

O predador acordou,
A caça começou,
A preza se rebelou,
E parece que nada mudou,
Pois a população aceitou,
No momento que não mais lutou.

Nova era,
E o que te espera,
O filho revoltado vira fera,
E o liquido vital escorre na terra,
Esta é uma guerra,
Onde o equilíbrio não mais impera.

Da cidade,
A toda humanidade,
Gritos de liberdade,
Soam com outra tonalidade,
Tingida pela vitalidade,
Nos cenários da mortalidade.

sábado, 24 de agosto de 2013

Amor descrito por um apaixonado pela vida!

Para ler ou baixar o livro "Amor descrito por uma apaixonado pela vida", viste o endereço:

Ela

Existe uma mulher,
Cujo encanto que em mim puseste,
Nunca será quebrado.
Pois não deixarei.

É gratificante sonhar com ela,
Porém é triste a realidade sem ela.
Criei um mundo por ela,
Mas o governo sem ela.

Vi nela o complemento de minha felicidade,
Mas ela não viu em mim o complemento de sua.
Solitário fico e ficarei, até tê-la.
Pois o homem que um dia sonhou com ela,
Perde o direito de sonhar com outra mulher.

Alegre, bela, compreensiva, delicada,
Educada, especial, exuberante,
Irradiante, inteligente, magnífica,
Misteriosa e dona do meu coração.

Seu nome é expresso em versos.
Indeterminado o amor foi.
Lembrarás de mim com carinho.
Mas uma esperança restou.
Amor surgirá,
Rompendo barreiras.
Amando quem sempre te amou.

Aproveitemos então o tempo!
Para que este não seja tão cruel com nós.
Eis que o tempo passou,
                                                              Mas você, não!

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Viagem versada

Leia ou baixe gratuitamente a obra no endereço:

Antes de você.
Depois de você!

Sou um Rei;
Que trocou um Império,
Por um sonho.

Eu era um “deus”;
Que trocou a imortalidade,
Por uma mortal.

Sou um poeta;
Que escreve sonhando,
O que ainda não consegui.

Eu era um jovem;
Que envelheceu,
Sem perceber.

Você é alguém;
Que conseguiu me transformar,
Em um Zé Ninguém.

Antes eu era o Sol;
Hoje sou um átomo.
Que existe, mas ninguém vê!

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Voz interior!

Para ler ou baixar gratuitamente visite o endereço:

Senhorita do destino

O preço por te conhecer,
É o desejo.
O preço por te querer;
É a solidão.

Um amor platônico,
Que não é correspondido.
Mas é vivido,
Em um mundo perdido.

Onde o preço para achá-lo,
Recai no destino.
Um preço muito alto,
Por algo que não se conhece.

O futuro então é corrompido,
De um ser que vive de passado.
Que sonha por vossa senhorita,
Sabendo que nada para ti representa.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Relatos de um tamandareense História do Município de Almirante Tamandaré.

Visite e conheça o livro no site:http://issuu.com/kotovski/docs/livrokotovisk

Um livro que trata sobre a história da cidade de Almirante Tamandaré-Pr. Elaborado para ser lido por leigos, mas sem perder a essência científica já que foi realizado norteados obedecendo  métodos e metodologias da ciência História.     

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A História Brasileira em versos.

Visite a obra no endereço:

http://issuu.com/kotovski/docs/a_historia_brasileira_em_versos

Denominação Brasil.

Pedro Álvares Cabral,
Primeiramente batizou a terra de Monte Pascoal.
Tendo a Páscoa como inspiração,
Pois os lusitanos eram um povo cristão.

Perceberam que o que viram de longe,
Não era apenas um simples monte.
Era a Ilha de Santa Cruz, que recebeu esta denominação,
Devida a uma precipitada observação.

Mas aquela territorial porção,
Necessitavam de uma melhor medição,
Para definir a Terra de Vera Cruz,
Em que o olhar português reluz.

Porém a madeira lucrativamente explorada,
Que uma idéia de paraíso em seu nome expressava,
Foi inspiração convencionada,
De Brasil para aquelas terras serem chamadas.

domingo, 18 de agosto de 2013

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE EM VERSOS.


Para quem gostar da temática dessas poesias, visite a obra no endereço:

Big –Bang

Pairava na infinita imensidão,
Em meio a suprema escuridão,
Uma inimaginável concentração de energia,
Que fervorosamente reagia.

Em um incalculável “belo” dia!
Quando esta noção de tempo não existia.
Ocorre uma última reação,
Que resulta numa grande explosão.

Que fez vagar pelo infinito espaço,
Incontáveis pedaços.
Que naturalmente se tornaram sistemático,
Formando os conjuntos galácticos.

A Via Láctea nascia;
E mais tarde o sistema solar surgia,
O nosso planeta se formava,
Para fazer uma vital jornada.

sábado, 17 de agosto de 2013

CONSIDERAÇÕES SOBRE A UFOLOGIA.

Para quem se interessar no assunto "Ufologia"  visite o endereço e leia a pesquisa!
http://issuu.com/kotovski/docs/considera____es_cr__ticas_sobre_a_u


JUSTIFICATIVA DA ABORDAGEM
  
 Vivemos em um mundo normatizado e organizado por legislações específicas que possuem como objetivo comum o bem viver, progresso e evolução humana. Pois, independente de consideração critica os terráqueos possuem o status de “civilização”, já que o contemporâneo grupo humano agrega características comuns que os identificam como pares permitindo uma convivência tolerante no contexto tanto da cultura universal, quanto da cultura específica.
Em decorrência desta realidade, existe por efeito uma gama de conhecimentos técnicos e científicos compartilhados em comum e livremente entre todas as nações e povos civilizados do mundo, ou seja, as ciências. Porém, ainda existem povos no planeta que desconhecem as Ciências dos “civilizados”. No entanto, o desconhecimento deles dessa ciência, nada interfere no seu cotidiano, pois possuem a sua própria, a qual lhe permite fornecer subsídios e informações necessárias para enfrentar e sobreviver na realidade em que vivem. Não é uma “ciência primitiva”, tão pouco alternativa. São os mesmos conhecimentos que em um passado distante serviram aos ancestrais que deram origem aos povos contemporâneos.
A partir desta breve e resumida introdução, é observado que os conhecimentos adquiridos na trajetória humana e posteriormente compartilhados, contribuíram para criar a realidade que contemplamos no presente. Porém, estes conhecimentos, não apareceram ao acaso, prontos para serem usados, mas foram frutos de observações espontâneas. Eis, que tiveram gênese em um contexto de senso comum que respondesse a necessidade do momento sofrendo evolução empírica (erro e acerto), dentro de um espaço e tempo não linear e revolucionário.
Atualmente ainda é assim, e sempre será assim. A diferença é que o ser humano adquiriu a consciência de sistematizar o que observa e percebe em diferentes contextos da manifestação humana (senso comum, cultural, política, social, científica, protocientífico, pseudocientífica,...), ou seja, o ser humano por ser um animal acumulador de conhecimentos, experiências e criativo consegue encontrar inspiração, fundamento, argumentações para solucionar suas questões vitais em campos muitas vezes sem ligação com a realidade vislumbrada, e por efeito criar algo novo. Algo classificado até então como impossível ou inexplicável. Ou seja, o filosofo Gastón Bachelard (1979, p. 06) considera que:

“para o cientista, o conhecimento sai da ignorância tal como a luz sai das trevas. O cientista não vê que a ignorância é um tecido de erros positivos, tenazes e solitários. Não vê que as trevas espirituais tem uma estrutura e que nestas condições, toda a experiência objetiva correta deve implicar sempre a correção de um erro subjetivo (...) o espírito científico só pode se construir destruindo o espírito não científico”[1].

Esta capacidade intelectual que permite o ser humano evoluir possui uma aceitação plausível, tanto na comunidade científica quanto na leiga. Da mesma forma, ela é tão vital para a sobrevivência humana, que é protegida por legislação internacional, como é possível observar no contexto do inciso primeiro do artigo 27 presente na Declaração Universal de Direitos Humanos, que cita o seguinte: “I - Toda pessoa tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de participar do processo científico e de seus benefícios;...”
Neste sentido, fica notório que a busca pelo aperfeiçoamento científico existente na realidade no contexto de produzir novas perspectivas, paradigmas, pontos de vistas, descobertas e explorar assuntos não contemplados pela ciência corrente, são elementos reconhecidamente que colaboram com o processo evolutivo humano. Sendo que o resultado dessa colaboração, independente do reconhecimento que terá na sociedade em especial no meio científico deveria ser respeitada e até auxiliada por outras ciências de forma notória. Pois, como já foi observado historicamente em várias oportunidades e em diferentes períodos, é a constante mudança de opinião sobre determinado assunto. Isto ocorre porque, pela descoberta de um elemento novo, ou um ponto de vista novo, o que antes era portador da absoluta credibilidade, posteriormente ao novo evento (paradigma) se torna o “maior erro da história”,...



[1] BACHELARD, Gastón. A Filosofia do não. In: Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

OS PAÍSES DO PLANETA TERRA EM VERSOS.

CONHEÇA AS POESIAS DA OBRA NO ENDEREÇO:
http://issuu.com/kotovski/docs/os_pa__ses_do_planeta_terra_em_vers

Argentina.

Território da região platina,
Faz parte do extremo sul da América Latina,
A República da Argentina é presidencialista,
E o sistema econômico capitalista.

Sua população,
É oriunda das conseqüências da colonização,
Que desencadeou a miscigenação,
Entre nativos e espanhóis que forjaram uma nova Nação.

Com uma cultura diversificada,
O tango é a sua marca registrada.
Além de suas turísticas terras geladas,
Mas pouco povoada.

Com uma desenvolvida industrialização,
A região da capital Buenos Aires concentra um terço da população,
Que desfruta de um bom índice de desenvolvimento humano,
No solo sul-americano.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Sonhando escrevi sobre o amor.

Visite a obra no endereço a seguir!
http://issuu.com/kotovski/docs/sonhando_escrevi_sobre_o_amor_-_ant


Afinidade eterna

Apaixonei-me quando a vi.
Fomentei esta ilusão
Esperando uma prazerosa sensação.
Naveguei o desconhecido.
Imprudentemente em sua direção.
Desbravando sua história.
Alucinado por tal objetivo.
Descrevo meus sonhos.
Explorando o sentimento “amor”.

Eternizo meus atos.
Tangendo sua alma.
Explicando meu amor.
Refazendo meu destino.
Nitidamente modificado por você.

Através dos tempos.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Horizonte Terminal

APENAS UM TRECHO DA FICÇÃO CIENTÍFICA HORIZONTE TERMINAL QUE ESTA DISPONÍVEL NO ENDEREÇO:
http://issuu.com/kotovski/docs/horizonte_terminal

  INVASÃO MENTAL

A pesar da realidade humana, para mais de quatro bilhões de pessoas, nunca o lusco-fusco foi tão temido, tão indesejado, tão desesperador e agonizante. Eis que com a noite, a previsão para que acreditava em invasão era a pior. Contava-se nos dedos os poucos que adormeciam. Luz artificial, só havia a de velas, lampiões, lanternas, de automóveis e das espaçonaves alienígenas no firmamento.
Perguntava-se onde estavam as forças aéreas para conter o avanço das pequenas naves que patrulhavam o céu. E a cada minuto, mais a população terráquea começava a perceber, que as armas disponíveis não fariam efeito algum, e agravariam a situação.
A população angustiada aguardava notícias de reuniões que os líderes mundiais desenvolviam possivelmente com os alienígenas. Mas isto não era uma certeza. Pois, os meios de comunicação no mundo, estavam interrompidos. Não por estratégia militar extraterrestre, mas por iniciativa governamental mundial que avaliava que a situação do caos já se encontrava critica.
 A noite foi longa e notícias eram só boatos e especulações de quando um parecer oficial definiria de fato a situação. Porém, de real era que as tropas terrestres alienígenas, já estavam preparando-se para desembarcar em solo terráqueo. Mas isto só os invasores sabiam.
E tudo isso já findava apenas o primeiro dia do cerco alienígena. O pensamento era um só: “como será o amanhã?”. Uma pergunta sem boas perspectivas...


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Inspiração Derradeira

Para visualizar ou baixar a obra visite o endereço:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/inspira____o_derradeira


Nove e dez da noite!

Hora da revolução,
Que em mim explodiu,
Em uma noite de junho.

Palavras sem nexo,
De uma mente sonolenta,
Trouxeram a tona,
 A falta de fé!

Não acreditei em meu sonho.
Não acreditei em mim!
Mesmo vendo ele se realizar,
Através de um telefonema.

Não houve tempo,
De concertar tal erro,
Que comprometeu meu destino!

domingo, 11 de agosto de 2013

Poesias: o refúgio de uma alma romântica

Visite a obra e leia ou baixe gratuitamente no endereço:
http://issuu.com/kotovski/docs/poesias_o_ref__gio_de_uma_alma_rom_

Cartas

Como alternativa de tanger sua alma,
Minhas tentativas se resumiram em propostas,
Redigidas com a ambigüidade sentimental,
Que só as folhas de papéis entendem.
Estas incontáveis folhas; carregam a minha história.
A história de um apaixonado.
Pois as mensagens falavam por si só,
E contavam tudo sobre mim,
Sem se quer, eu querer isso,
Pois, elas são o reflexo de minha alma,
De meu mundo e de minha personalidade.
E mesmo que eu redigisse minha biografia,
Não seria tão exata e nem convincente,
Quanto o reflexo que a poesia tem de seu autor.
Pois ela é tão perfeita quanto a isto,
Que não nos deixa mentir, mesmo se tentarmos.
E mesmo assim, sua alma continua intangível.
Gostaria de saber por quê?
Por que do silêncio, por que não existiu uma satisfação?
Mistérios que fazem meu ser sofrer.
Sofrer em meio ao nada,
Não pelo amor que se sonha, mas porque não o conhece.
Porque tens medo do arrependimento posterior de sua indecisa e confusa resposta.

sábado, 10 de agosto de 2013

Reflexos de muitos momentos


Olhar admirador

Olhares se cruzam,
Razão e coração se misturam.
Atração e sentimento,
Tocam-me como o vento.

Criam ilusão.
Errante emoção.
Portadora da confusão.

Tão perto, mas tão distante,
Estou sem ação neste instante.
Se eu soube-se seus segredos,
Talvez eu perderia meus medos.

Sou um covarde!
Não consigo se quer satisfazer minha vontade.

Tentar pelo menos, fazer você parte de minha realidade. 

Poesias como estas podem ser lidas no endereço:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/reflexos_de_muitos_momentos.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Escrituras românticas


Um obstáculo. Novos horizontes

Se o meu maior obstáculo é atrair sua atenção,
Em meio às dificuldades de comunicação.
Fiz minhas palavras, serem lidas pelo mundo,
Como prova de meu amor profundo.

Mas isto não foi suficiente,
A ponto de torná-la consciente,
Que você é a realidade que fará eu ser gente.
Mostrando-me uma visão do horizonte de forma coerente.

Mas a falta de um sentimento receptivo,
Faz-me ser passivo,
De um obstáculo comunicativo,
Que é um dos caminhos para alcançar meu nobre objetivo.

Pois você não esta longe,
Nem é tão difícil,
Apenas esta inacessível,
Pelos caminhos que achei possível.

Existem outros caminhos a desbravar,
Basta-me a eles me adaptar,
E a seu gosto mostrar,

Que eu mereço te amar.

Poesias como estas podem ser lidas no endereço:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/reflexos_de_muitos_momentos.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Versos imperfeitos. Intenções verdadeiras.

Consolo noturno

A noite é fascinante,
Pois o brilho das estrelas,
Trazem a lembrança de seu esmeraldino olhar.

Existe a Lua.
Tão bela e misteriosa,
Assim como Vossa Alteza.

Já a escuridão,
Provoca a sensação do desconhecido,
Fazendo-nos á temer a noite,
Mesmo esta tendo o firmamento mais belo.

Porém ela nos consola,
Com a paz e a tranquilidade,
Inexistente na luz do dia,

Mas sempre conosco.

DISPONÍVEL GRATUITAMENTE PARA LEITURA NO ENDEREÇO:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/versos_imperfeitos_inten____es_verd

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

LIVRO NEGRO. O LADO OPOSTO DO AMOR

O Livro negro, parece que não fala nada sobre o amor. Porém, o tema que ele abrange são os efeitos da radicalização do amor, dos excessos e das consequências. Poder, ganância, loucura,..., ou seja, o lado oposto do amor. Pois, os seres humanos costumam se renderem aos prazeres e o confundir com felicidade e amor.
São poesias que devem ser analisadas com olhos da sabedoria, nunca com contemplação leiga.

O capítulo I tem como tema a ideia:

Depois do escrito (POST SCRIPTUM)
Na falta da lei (PRAETER LEGEM)


ANCIPTIS USUS (Coisas de uso ambíguo)

Que possui a seguinte introdução:

 Vocation in ius

O poder de interpretação,
Liga-se intimamente ao potencial da visão.
Não basta ler e imaginar,
Quando se tem que vivenciar,
Para começar a compreender,
O que não se quer perceber.

A jornada começou,
Alguém pelo caminho gritou,
Um horizonte se avistou,
Mas ninguém lá, ainda chegou.
Lá não é o fim, mas o começo,
A custa de um duro preço.

O valor das coisas,
E as coisas de valores,
Muitos dizem serem poucas,
Já que o supérfluo é corrompido por amores.
Aprendidos em lousas,
Passando despercebidos nossos maiores temores.

O organismo maior sente a doença,
Que se alimenta da crença,
Que nasce na descrença,
Do renegado vital.
Elemento fundamental,
Que alimenta um sistema mortal.

Falsos profetas e profecias,
Descrevem os contemporâneos derradeiros dias,
Servindo de vias,
Para fundamentar utopias,
Que abrem falência na simples intenção de revelia,
De quem não encontra respostas para as intimas agonias.

Palavras sem ação,
Questão sem solução.
Enferma reação.
Domesticada pela legislação,
Uma oculta manipulação,
Guiada sempre por uma religião.

Metáforas sem nexo,
Descrevem um universo complexo,
Que se resume na contradição do amor e do sexo,
Produzindo diferentes reflexos,
Carregando o ser com anexos,
De textos perplexos.

O nosso mundo não acabou,
E tão pouco o fim começou.
Porém o relacionamento mudou,
E o que é vital se alterou,
Abrindo caminho para algo que não se aceitou,
Mas que evolui, transforma-se, mas que não desabrochou.

Acelerou-se o processo,
Necessita-se de um regresso,
É o custo do excesso,
E do rompimento expresso,
Do que me faz, o seu universo,
Já que somos a continuação desse verso.


Visite e leia o livro gratuitamente no endereço:

Amor descrito por um apaixonado pela vida!

“É inútil responsabilizar uma pessoa pelo que possa ter dito enquanto loucamente apaixonado, bêbado ou em campanha eleitoral”. (Seleções, 02/1973) 



Correr ou ficar?

Imagine se dominássemos o tempo.
Quantas coisas, faríamos,
Quantos erros, concertaríamos,
Quantos sonhos, realizaríamos.

Utopia das utopias,
Nada ocorre por acaso,
Tudo tem uma razão,
Que sempre visa o melhor para nós.

Aprendemos com os erros,
Erramos com os acertos,
E mesmo assim não desistimos.
Pois a vida é um desafio a ser vencido.

Não tem como desistir,
Não tem como escapar,
Pois se você não for até o seu destino,
Ele vem até você!   

Para ler ou baixar o livro "Amor descrito por uma apaixonado pela vida", viste o endereço:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/amor_descrito_por_um_apaixonado_pel

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Viagem versada

Felicidade fora da realidade


Desvendar seus segredos,
É enfrentar sem medo.
O risco de sofrer,
Sem se arrepender.

É buscar a felicidade,
Mesmo fora da realidade.
Porque é recompensador,
Tudo o que é vinculado ao amor.

Seus mistérios,
Desvenda-se com um olhar sério.
Na troca de intimidades,
Realizadas com sinceridade.

Um convite a experimentar e julgar,
Se todas as sensações sentidas,
Estão comprometidas,
Com algo que esta além do ato de amar.

É por este motivo que te estudo!
Que te descrevo!
Que tento te compreender!
Pois você é o que mais quero ter!

Leia ou baixe gratuitamente a obra no endereço:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/viagem_versada

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Voz interior!

Sentimentos contraditórios

Ao mesmo tempo,
Penso em você,
E tento te esquecer.

Uma contradição,
Carregada de paixão,
Movida pela ilusão,
Desfeita pela decepção.

Mil motivos para amar,
Outros mil para te deixar.
E um receio em qual escolher,
Evitando sofrer (?).

Só sei que quero de tocar, beijar,...
E depois viajar sem te carregar,

Só para ver o que vai dar.

Para ler ou baixar gratuitamente visite o endereço:
http://www.issuu.com/kotovski/docs/voz_interior